Qne Escola de Aviadores
QNE História Missão Parceiros Guia de Formação Duvidas?

Guia de Formação

Veja o Guia de Formação do Piloto que a QNE preparou com todas as dicas para uma decolagem certa e segura em uma das profissões mais admiradas do mundo.
Piloto é o profissional habilitado para exercer função técnica a bordo de aeronaves. No Brasil, somente podem operar aeronaves, a lazer ou a trabalho pessoas cujas licenças e habilitações técnicas tenham sido expedidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

 No Brasil, há três tipos de licenças: Piloto Privado, Piloto Comercial e Piloto de Linha Aérea. A de piloto privado (PP), primeira licença da carreira, habilita operar aeronaves sem fins comerciais, ou seja, o piloto não poderá ser remunerado. Já a licença de piloto comercial (PC) permite voar profissionalmente. A licença de piloto de linha aérea (PLA) é exigida para os comandantes em empresas de transporte aéreo regular como a TAM, Gol, Webjet, Trip, Azul e outras. Cada licença, contudo, tem como pré-requisito a licença anterior. Nenhum piloto pode obter a licença de PLA sem ter obtido a de PC, assim como este último tem que ter obtido a de PP. A idade mínima para entrar na aviação é 17 anos. Veja a seguir o passo-a-passo para ingressar na carreira:

O primeiro passo é escolher uma escola homologada pela ANAC para fazer o curso teórico (não obrigatório para piloto privado) e prático. No site da agência reguladora há a lista de escolas homologadas. Veja a relação aqui.

O segundo passo é requerer o Código ANAC. Trata-se de um número que identifica o piloto e o acompanhará em toda a sua carreira. Veja como solicitá-lo aqui.

O terceiro passo é saber se tem aptidão psico-física para a profissão. Ser piloto requer a saúde em dia e hábitos saudáveis, por isso os aeronautas têm que passar regularmente por uma avaliação médica completa em órgãos oficiais ou em clínicas credenciadas para tal. No Rio de Janeiro, além das clínicas credenciadas, o exame é feito geralmente no Centro de Medicina Aeroespacial (Cemal), um centro médico do Ministério da Aeronáutica, na Ilha do Governador. O exame inicial é feito em duas manhãs, custa R$ 380,00 e não é necessário agendar. Mas o candidato deve levar uma carta de encaminhamento de uma escola homologada e já possuir o código Anac. 

No primeiro dia do exame, o candidato deve chegar ao Cemal até as 6h30 em jejum para coleta de sangue e urina. Após, segue para uma bateria testes psicotécnicos. No segundo dia o candidato passa por diversas clínicas como neurologia, oftalmologia, odontologia, cardiologia, clínica geral. A partir de 1º de janeiro de 2012, não será mais emitido o Certificado de Capacidade Física (CCF). As informações passaram a constar de um sistema integrado do ANAC e o exame passou a ser chamado Certificado Médico Aeronáutico (CMA).

Se apto para o voo, o quarto passo do futuro aeronauta é se preparar para o exame teórico da ANAC a fim de obter o Certificado de Capacidade Técnica (CCT). Candidatos a licença de piloto privado não são obrigados a freqüentar um curso homologado, embora seja recomendado uma vez que este será o primeiro contato do futuro piloto com a teoria que envolve o voo.  Uma vez preparado para o teste, o exame teórico da ANAC poderá ser agendado a qualquer momento.

Em algumas capitais, o candidato será submetido a uma prova online com 100 questões abrangendo as disciplinas Navegação Aérea, Teoria de Voo, Regulamentos, Conhecimentos Técnicos e Meteorologia. Se freqüentar uma escola homologada, o aluno também terá noções sobre o Sistema de Aviação Civil e Medicina Aeroespacial. Em média o curso em uma escola custa R$ 2.500,00 e dura cinco meses com aulas de segunda a sexta-feira. Algumas entidades, no entanto, oferecem sistemas intensivos em até dois meses.

O quinto passo é buscar uma escola homologada para fazer as aulas práticas de voo. O aluno pode começar suas horas de voo mesmo sem ter iniciado os estudos teóricos. Mas precisará estar com o CCT na metade de seu curso prático. O CCT é obrigatório para realizar o voo solo, quando o aluno voa pela primeira vez sem o instrutor a bordo. Este voo faz parte do programa de ensino e geralmente é realizado a partir da 18ª hora de voo, dependendo do desempenho do aluno. Ao todo o piloto aluno deve fazer no mínimo 35 horas de aula para ser submetido ao voo de cheque, que é uma prova prática para a obtenção da licença de Piloto Privado.  Por ser seu primeiro contato com a pilotagem, geralmente o aluno obtém a licença para voar em aeronaves monomotoras com regras e condições meteorológicas de voo visual. O curso prático é individual, logo o tempo mínimo de curso dependerá da disponibilidade de tempo do aluno, bem como de seu planejamento financeiro para a aquisição das horas.

Focada na qualidade, a QNE estabelece que o aluno apresente o CCT teórico para o início dos cursos. O programa de ensino prático prevê 40 horas de voo.

Aprovado no voo de cheque para piloto privado, o aluno pode iniciar os preparativos para o curso prático e teórico para obter a licença de piloto comercial. Antes de tudo, porém, o candidato deverá ser submetido a um novo exame médico. A dinâmica é mesma, bem como os custos: duas manhãs de exame, a primeira em jejum de 12 horas, taxa de R$ 380,00. Se aprovado, o candidato tem averbado em sua licença o Certificado Médico Aeronáutico de primeira classe.

Para PC, a freqüência às aulas em uma escola homologada é obrigatória. De volta à sala de aula, o aluno irá rever todas as disciplinas do PP, agora com mais profundidade, durante cinco meses em média - há cursos intensivos que permitem uma formação em pouco mais de um mês. Neste curso o aluno terá o primeiro contato com a teoria que envolve o voo de alta velocidade e com o voo por instrumentos. A prova teórica também é online em algumas capitais e constam de 100 questões de múltipla escolha. Mas, ao contrário do PP, o exame só pode ser agendado após a escola enviar o nome dos alunos que tiveram no mínimo 70% de aproveitamento durante o curso. Em média o curso teórico custa R$ 3.000,00.

No curso prático o aluno irá completar cerca de 140 hs de vôo em escola homologada, sendo 120 hs em condições visuais (VFR), similares às realizadas no PP. Antes de terminar o PC o aluno poderá escolher uma espécie de especialização que irá seguir:

PC/VFR - Piloto comercial para vôos visuais.

PC/IFR - Piloto comercial para vôos visuais e por instrumento (com visibilidade abaixo dos mínimos previstos para os voos visuais).

PC/IFR/ MULTIMOTOR - É a habilitação SUGERIDA , pois possibilita ao piloto voar com e sem condições visuais em aeronaves com mais de dois motores. Esta habilitação é a mais recomendada, uma vez que é uma exigência do mercado de trabalho, seja em companhias aéreas de voos regulares, empresas de táxi aéreo ou mesmo na aviação executiva (aviões particulares e de empresas privadas).

Como piloto comercial, o profissional deve acumular horas de voo e experiência para seguir na carreira. O caminho mais comum escolhido pelos pilotos novatos é o voo de instrução. Mas para ser um instrutor de voo, o piloto deve voltar à sala de aula e freqüentar um curso teórico que dura em média um mês e custa em torno de R$ 2.000,00. Também deve fazer um curso prático de cerca de 23 horas de voo. Com horas de voo de instrução na bagagem, o piloto poderá se candidatar a uma vaga em uma companhia aérea regular e esperar chegar às 1.500 horas para obter a licença de piloto de linha aérea (PLA). Mas esta licença também requer aprovação em prova teórica da ANAC. Só que o candidato não precisa freqüentar um curso.

MERCADO DE TRABALHO

Historicamente o mercado de Trabalho na aviação cresce o dobro do PIB, ou seja economia boa, aviação excelente. Além do crescimento anual, a aviação brasileira vive uma fase de grande expansão através do aumento de vôos e destinos, popularização das passagens aéreas e otimização das administrações das Companhias. O Brasil é um país de dimensões continentais e o uso do avião hoje é uma necessidade estratégica.

Em épocas de intensas contratações, a experiência de vôo aos candidatos foi reduzida, os salários aumentaram e já não há desemprego no setor, e sim falta de profissionais qualificados.

Tabela de salários  de mercado (Bruto - Média estimada - Fixo + Variável)

Cargo Salário Bruto
Instrutor de voo de Escola R$ 2.500
Comandante Taxi Aéreo R$ 10.000
Co piloto Regional R$ 9.000
Co piloto Nacional R$ 13.000
Co piloto Internacional R$ 16.000
Comandante Nacional R$ 20.000
Comandante Internacional R$ 26.000

Mais que os atrativos salários, o importante é ter em mente que o candidato a piloto comercial deve encarar o desafio não como uma oportunidade de emprego e sim como uma opção pela formação em uma grande profissão.

Qne Escola de Aviadores

Endereço

Av. Padre José de Anchieta
nº 3762, Ed. Buzios 902, Loja 07

Bairro: Aeroporto, Guarapari/ES
CEP: 29.216-725
Fixo: (27) 3361-2019
Cel: (27)98191-5145
E-mail: atendimento@qne.com.br

Social